Mais de 750 gestantes e nutrizes são beneficiadas com a entrega de cestas nutricionais.

Cada mulher recebeu uma cesta nutricional de 22kg, com 14 itens, como biscoitos, cereal e sucos.

Por Ranjelio 22/12/2017 - 16:53 hs
Foto: Lucas Ferreira / Assessoria.

Gestantes e nutrizes – mulheres até o sexto mês de amamentação – de Arapiraca terão um natal mais feliz, com uma ceia farta. Isso porque a prefeitura de Arapiraca, através da secretaria de Assistência Social e Políticas para a Mulher, e o Governo de Alagoas, entregaram, na tarde desta quinta-feira (21), no Ginásio João Paulo II, cestas nutricionais a 764 mulheres. A iniciativa faz parte do Programa estadual de Complementação Alimentar de Gestantes, Nutrizes e Crianças alagoanas em Situação de Vulnerabilidade Social e Insegurança Alimentar e Nutricional.

Cada mulher recebeu uma cesta nutricional de 22kg, com 14 itens, como biscoitos, cereal e sucos, que visam garantir a segurança alimentar e nutricional das beneficiárias, colaborar para que ocorra o adequado desenvolvimento fetal e infantil, contribuir com o aleitamento materno exclusivo, melhoria da condição nutricional e diminuição de desnutrição infantil.

O prefeito Rogério Teófilo esteve presente no evento e agradeceu o apoio do Governo do Estado. “Esse evento de hoje, entre governo e prefeitura, é exemplo para a polícia brasileira. Não trabalhamos de acordo com partido político, mas pelo social. É dessa forma que engrandecemos a política alagoana”, afirmou.

Carleane Leite dos Santos, 18 anos, moradora do bairro Primavera, está grávida de 7 meses de um menino, seu primeiro filho, e foi uma das mulheres beneficiadas com a entrega da cesta. Feliz da vida com seu bebê Arthur ainda na barriga, Carleane agradeceu a cesta e disse que não teve dificuldade alguma para ter acesso.

“Um agente de saúde que acompanha minha gestação foi até a minha casa e contou do programa, sugerindo que eu me cadastrasse no Cras [Centro de Referência em Assistência Social]. E hoje eu estou aqui para receber”, contou. “Vai ajudar bastante, ainda mais neste final de ano”, completou.

Carleane está correta, para ter acesso as cestas nutricionais, além de ser cadastrada no Cras, é necessário também fazer parte do Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico), possuir o Número de Identificação Social (NIS), ter renda per capita de até ¼ do salário mínimo e apresentar documentos pessoais, inclusive comprovante de residência no município.

Agora, são avaliadas prioritariamente, as gestantes que estão recebendo o Benefício Variável da Gestante (BGV) e realizando, corretamente, o acompanhamento de pré-natal, comprovado através da caderneta da gestante. Já as nutrizes, são consideradas prioritárias as que apresentam a certidão de nascimento da criança e o cartão de vacina atualizado.

Dessa forma, Estado e Município garantem assiduidade às consultas primárias pré-natais e a inserção das gestantes no Cras. “O programa não se restringe apenas a entrega de cestas, mas ao acompanhamento por toda a rede de proteção, tanto da Assistência Social quanto da Saúde, e, caso necessário, por outras políticas de acordo com a demanda da gestante e da sua família”, disse a secretária municipal Amilka Andrea.

Vale lembrar que nesta quinta foram entregues 764 cestas, mas ainda na primeira semana de janeiro serão entregues mais 764, referentes a outubro e novembro de 2017, respectivamente. Totalizando, assim, 1528 cestas.