Mulher denuncia ex-companheiro e é assassinada dentro da viatura policial.

Ela morreu no local, mas ele sobreviveu e está preso.

Por Ranjelio 08/10/2017 - 21:56 hs
Foto: Reprodução / Uol

Laís Andrade, 30 anos, descobriu que seu ex-companheiro havia instalado uma câmera em seu banheiro e decidiu buscar ajuda da polícia. No entanto, ao fazer a denúncia, ela e o homem foram conduzidos na mesma viatura até para a delegacia da cidade vizinha e dentro do veículo ela foi assassinada.

O crime aconteceu na noite de sábado. Mãe de um menino de 8 anos, Laís descobriu a câmera na janela de seu banheiro e ficou preocupada que suas imagens e do filho fossem divulgadas e decidiu procurar a polícia de sua cidade, Pavão, MG. O homem admitiu ter instalado a câmera no banheiro da ex-companheira.

Como era final de semana, os depoimentos deveriam ser colhidos na delegacia regional de Teófilo Otoni.

Segundo o delegado da Polícia Civil de Teófilo Otoni, Eduardo Gil, o homem teria pedido para buscar um documento em casa antes de entrar na viatura e os policiais permitiram, foi quando ele pegou uma faca e escondeu no tênis. "Quando ele entrou na viatura, ele já antevia o resultado que queria, que era a prática do feminicídio", disse o delegado.

No caminho de quase 100 km entre as cidades, tanto a vítima quanto o agressor foram no mesmo banco do carro, contrariando os protocolos de atendimento policial. Já perto da cidade destino, o homem pegou a faca e atingiu Laís no pescoço, tentando se matar em seguida.

Ela morreu no local, mas ele sobreviveu e está preso.

Caso será investigado

O delegado Eduardo Gil disse que será aberto um inquérito para investigar as irregularidades cometidas pelos policiais no caso. Segundo ele, o correto seria conduzir os dois em compartimentos separados da viatura ou no mínimo algemar o acusado. Além disso, será investigado se houve negligência em fazer a busca pessoal.