De Arapiraca à China: alagoano comanda nos EUA tecnologia de câmera para atletas em ação

Por Chrislayne 25/01/2017 - 11:52 hs
Foto: Arquivo Pessoal

Em dezembro passado, o arapiraquense Jairo Barros, de 30 anos, teve que voar de San Diego, na Califórnia, onde mora atualmente, até Chongqing, cidade chinesa que abriga um dos polos tecnológicos mais importantes do país, onde supervisionou detalhes para a produção de uma câmara robô que dispensa cinegrafista e capta imagens de esportistas em movimento. 
Diretor de engenharia de software da Soloshot, empresa com sede em San Diego que projetou a câmera com previsão de ser lançada no mercado ainda este ano, o alagoano é responsável pelo desenvolvimento dos programas e aplicativos que servirão de suporte para o funcionamento da câmara – incluindo um editor de vídeos projetado para transmissões ao vivo via Internet. 
“Como a câmera já está disponível para pré-venda nos Estados Unidos, nosso propósito é colocar esse produto na mão dos consumidores o mais rápido possível”, diz o alagoano, que passou 11 dias na China em dezembro passado e deve voltar para lá nos próximos dias para repassar detalhes finais do projeto aos funcionários da fábrica que vai montar o robô no país asiático. 
Jairo explica que o grande diferencial do produto em relação a outros da categoria chamada de “action câmera” é a possibilidade de captar imagens do esportista por meio de ângulos externos - e não apenas pelo olhar do esportista, como na GoPro.
O equipamento, que pode ser integrado a vários tipos de câmeras e lentes, funciona da seguinte forma: a pessoa filmada carrega consigo uma espécie de tag no braço e a câmera passa a acompanhar os passos da pessoa, buscando o melhor ângulo e seguindo os movimentos dela.
“Quando você está assistindo a um campeonato de surf, por exemplo, você quer ver as manobras do surfista em ação, e não apenas a visão que ele está tendo de cima de uma prancha”, diz Jairo. “Como nossa câmera-robô pode ser fixada longe do usuário e deixa-o com as mãos livres, ela consegue captar os melhores ângulos dele em ação”. 
Após se formar em Sistemas de Informação na Faculdade de Alagoas (atual Estácio/Fal) e fazer pós-graduação em Gerenciamento de Projetos, o alagoano embarcou em 2012 para estudar inglês nos Estados Unidos onde fixou residência, fundou a Sook, empresa voltada para desenvolver aplicativos, até ser contratado pela Soloshot para desenvolver o projeto da câmera. 
Apesar de voltar a Maceió apenas no fim de ano para visitar os parentes, o alagoano diz que acompanha de perto a expansão das empresas de Tecnologia de Informação no Estado, no chamado Sururu Valley. 
“Fico feliz de ver todo o potencial e crescimento das startups locais e posso afirmar que, em termos de conhecimento e capacidade, as equipes locais não perdem para ninguém lá fora”, diz Jairo, que deve voltar à China nos próximos dias para comandar os últimos detalhes da fabricação da câmera.

Por: Agenda A